O que é Inflação?

Atualizado em

A inflação acontece devido ao aumento generalizado dos preços de produtos e serviços. Ela é uma medida percentual e indica uma tendência de crescimento dos preços na economia.

Para medir a inflação são considerados os preços atuais de uma cesta de bens e serviços. Esta mesma quantidade é utilizada num período posterior, verificando quais são os preços estão sendo cobrado por eles. A inflação existe quando a média dos preços atuais são superiores aos do período anterior, ou simplesmente uma variação percentual positiva.

A verificação dos preços praticados pode ser feita diariamente. O mais habitual é medir a variação dos preços entre meses, ou mesmo dentro de um ano - inflação acumulada em 12 meses.

Uma inflação muito elevada desvaloriza a moeda do país e reduz o poder de compra de sua população. Além disso, passa a criar um ambiente desfavorável para investimentos e a geração de empregos.

Inflações extremamente elevadas são conhecidas como hiperinflação. Já a variação de preços a valores negativos, a redução generalizada dos preços, é conhecida como deflação.

Como a inflação é medida

Para saber a inflação de um país é preciso que institutos de estatística recolham amostras de preços de produtos e serviços.

Esta recolha de dados é feita considerando o público a ser estudado, e os produtos e serviços adquiridos por este público. Os bens selecionados para a pesquisa passam a fazer parte de uma "cesta" onde recebem diferentes ponderações.

Com a recolha de preços feita, os técnicos juntam os dados e calculam o percentual para a variação de preços, ou seja, o índice para a inflação. Este processo é feito comparando os preços atuais com os do período anterior para a mesma cesta dos produtos e serviços pesquisados.

A comparação dos preços é feita através do nível de preços, onde a pesquisa inicial leva o número 100, refletindo o aumento nos próximos níveis. Por exemplo, sendo um nível de preços no próximo mês de 101, a inflação mensal terá sido de 1%.

No Brasil existem diferentes tipos de índices, sendo alguns deles:

  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA): medido pelo IBGE, este índice considera os preços de bens adquiridos por famílias com renda entre 1 e 40 salários mínimos em 11 regiões metropolitanas.
  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC): semelhante ao IPCA, este índice considera a inflação para famílias com renda entre 1 e 5 salários mínimos.
  • Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M): medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), este índice considera preços do comércio atacadista, varejista e da construção civil. Os dados são recolhidos entre o dia 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.
  • Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI): semelhante ao IGP-M, este índice mede a variação de preços desde as matérias-primas agrícolas e industriais até de bens e serviços para o consumidor final. A diferença está na recolha, que acontece entre o primeiro e último dia do mês.

Desde a implementação do Real na metade de 1994 até o ano de 2020, o IPCA acumulado foi de mais de 500%. A inflação ano a ano pode ser conferida no gráfico:

Inflação acumulada anual no Brasil de 1995 a 2020
Inflação de 1995 a 2020 medida pelo IPCA

Principais causas da inflação na economia

O aumento de preços de uma economia pode ter variadas causas. Listamos as principais abaixo.

  • Gastos públicos

Conforme o governo gasta, contribui para a inflação na economia. Os preços podem aumentar tanto pela aplicação de impostos que se repassam aos consumidores, quanto por questões monetárias, através da impressão de dinheiro para o pagamento dos gastos.

  • Cartéis ou monopólios

O número reduzido de empresas ofertando produtos ou serviços em uma economia faz com que estes determinem os preços pela falta de concorrência. Com o controle de preços nas mãos de poucas empresas, a tendência é o aumento dos valores cobrados.

  • Custos de produção

Os custos de produzir e vender, são repassados aos consumidores, visto que nenhuma empresa oferta abaixo de seus custos. Quanto mais aumentam para as empresas, mais contribuem para a inflação.

  • Produção baixa

A produção abaixo da demanda em um mercado faz com que os preços subam, considerando que existam consumidores que se dispõem a pagar mais.

  • Inflação inercial

Esta é conhecida pelo aumento natural dos preços. As empresas e os trabalhadores preveem uma inflação no ano e aumentam os valores cobrados equivalentemente ao poder de compra.

  • Indexação da inflação

Na economia, a indexação é o ajuste constante de preços considerando a inflação anterior. Ela existe principalmente em contratos e no aumento dos salários.

A indexação foi uma das causas combatidas pelo Plano Real na época em que o Brasil passava por uma hiperinflação.

Como a inflação é controlada

A inflação oficial do Brasil vem do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), com base no consumo de famílias com renda entre 1 e 40 salários mínimos, medida pelo IBGE.

Conforme este índice apresenta alta ou baixa, o Banco Central do Brasil (BCB) atua através de sua política monetária, aumentando ou reduzindo a taxa de juros oficial - SELIC. Esta taxa é decidida em reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom), a cada 45 dias.

Desde 1999 a inflação segue uma meta adotada pelo BCB em conjunto a metas fiscais e a adoção de um câmbio flutuante. Esta estratégia é conhecida como "tripé macroecônomico".

Conheça as políticas econômicas por trás desta estratégia:

Saiba o que é IPCA e qual seu valor atual. Acompanhe também a Taxa Selic.