Taxa Referencial: saiba o que é a TR e qual o seu valor atual

O que é a TR?

A Taxa Referencial (TR) é uma taxa de juros de referência muito utilizada como indicadora para contratos ou ativos financeiros. Esta taxa é calculada pelo Banco Central do Brasil.

A TR surgiu como referência para os juros da economia brasileira, sendo um dos instrumentos de controle da inflação. Foi criada durante o governo Collor, em 1991, integrando um conjunto de medidas adotadas pelo "Plano Collor II".

Á época em que foi criada, o país passava por uma inflação muito elevada e muitos contratos e investimentos indexavam esta inflação, gerando ainda mais a alta de preços. A TR foi uma das formas que o governo da época tentou utilizar para que a economia deixasse de se basear em taxas tão elevadas.

Atualmente, a TR é mais utilizada para a rentabilidade de alguns investimentos financeiros, como na caderneta de poupança ou em títulos do Tesouro. Também utiliza-se a TR em correções monetárias de empréstimos e do FGTS.

Valor atual da Taxa Referencial

Os valores atuais e dos últimos anos calculados para a TR de cada mês, bem como o acumulado no ano, podem ser conferidos na tabela abaixo:

Tabela TR (%)
Mês/Ano 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019
Janeiro 0,0864 0,0000 0,1126 0,0878 0,1320 0,1700 0,0000 0,0000
Fevereiro 0,0000 0,0000 0,0537 0,0168 0,0957 0,0302 0,0000 0,0000
Março 0,1068 0,0000 0,0266 0,1296 0,2168 0,1519 0,0000 0,0000
Abril 0,0227 0,0000 0,0459 0,1074 0,1304 0,0000 0,0000 0,0000
Maio 0,0468 0,0000 0,0604 0,1153 0,1533 0,0764 0,0000 0,0000
Junho 0,0000 0,0000 0,0465 0,1813 0,2043 0,0536 0,0000 0,0000
Julho 0,0144 0,0209 0,1054 0,2305 0,1621 0,0623 0,0000 0,0000
Agosto 0,0123 0,0000 0,0602 0,1867 0,2545 0,0509 0,0000 0,0000
Setembro 0,0000 0,0079 0,0873 0,1920 0,1575 0,0000 0,0000 0,0000
Outubro 0,0000 0,0920 0,1038 0,1790 0,1601 0,0000 0,0000 0,0000
Novembro 0,0000 0,0207 0,0483 0,1297 0,1428 0,0000 0,0000 0,0000
Dezembro 0,0000 0,0494 0,1053 0,2250 0,1849 0,0000 0,0000
Acumulado no ano 0,2897 0,1910 0,8592 1,7954 2,0125 0,5967 0,0000 0,0000

Para os anos anteriores, e desde a criação da TR em 1991, os valores que se acumularam dentro de cada ano aparecem nesta tabela:

Tabela TR - valores acumulados anuais (%)
Ano Taxa TR anual (%)
2011 1,2079
2010 0,6887
2009 0,7090
2008 1,6348
2007 1,4452
2006 2,0377
2005 2,8335
2004 1,8184
2003 4,6485
2002 2,8023
2001 2,2852
2000 2,0962
1999 5,7295
1998 7,7938
1997 9,7849
1996 9,5551
1995 31,6207
1994 951,19
1993 2474,73
1992 1156,22
1991 335,51

A Taxa Referencial é controlada pelo Banco Central do Brasil e tem se mantido zerada nos últimos anos, como pôde ser visto na tabela.

Vale lembrar que, se você precisa atualizar ou corrigir um valor com a TR, pode utilizar a calculadora oferecida pelo Banco Central.

Como a TR é calculada pelo Banco Central

A definição da Taxa Referencial vem do Banco Central do Brasil (BACEN). Para calcular a TR, a autarquia se baseia nas taxas de juros das Letras do Tesouro Nacional transacionados no mercado de títulos públicos.

Dessas taxas de juros, o Bacen calcula uma média ponderada e obtém uma taxa conhecida como Taxa Básica Financeira (TBF).

Antes de calcular a Taxa Referencial, a fórmula utiliza um redutor que é calculado como:

  • R = a+b×(TBF÷100)

Em que "a" é igual a 1,005 e o valor de "b" é definido conforme o valor em que se encontra a TBF anualizada:

TBF (% a.a.) Valor de "b"
Maior que 16,0 0,48
Menor ou igual a 16,0 e maior que 15,0 0,44
Menor ou igual a 15,0 e maior que 14,0 0,40
Menor ou igual a 14,0 e maior que 13,0 0,36
Menor ou igual a 13,0 e maior ou igual a 10,5 0,32
Menor que 10,5 e maior ou igual a 10,0 0,31
Menor que 10 e maior ou igual a 9,5 0,26
Menor que 9,5 0,23

Com o redutor calculado, o Bacen define a TR através da fórmula:

  • TR = [((1 + TBF÷100) ÷ R) - 1] x 100%

Para esta fórmula é considerado um máximo entre zero e o valor calculado pela fórmula com até quando casas decimais. Por isso, se o resultado ser negativo, a TR será considerada como zerada.

Como a TR é utilizada

A Taxa Referencial é muito utilizada para correção monetária ou incorporada em aplicações financeiras. Entre exemplos mais comuns temos a caderneta de poupança e o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Na poupança, a TR é somada à taxa Selic para definir o rendimento da aplicação financeira. Para quem depositou na caderneta antes de 3 de maio de 2012, o rendimento atribuído é de 0,5% ao mês mais a TR. Depois dessa data, o governo mudou a regra para as seguintes condições:

  • Se a taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança é fixado em 0,5% ao mês mais a TR;
  • Se a taxa Selic estiver igual ou abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança corresponde a 70% da taxa Selic mais TR.

Já no caso do FGTS, a correção é feita somando um valor fixo de 3% ao ano. Quando a TR está zerada, o fundo recebe apenas a correção de 3%. Além deste valor, o FGTS recebe como rendimentos os lucros obtidos com a gerência do fundo.

Nos títulos de capitalização a TR também está presente, sendo a única taxa que efetua correção monetária nesta aplicação.

Entenda como é a rentabilidade da poupança e como funcionam os títulos de capitalização.

Saiba o que é e qual o valor atual da taxa Selic.

Títulos de crédito Taxa Referencial: saiba o que é a TR e qual o seu valor atual O que é, o que faz e como se tornar um Trader