Aplicações financeiras com maior rentabilidade

As aplicações financeiras mais rentáveis são aquelas que também possuem maiores riscos. Isso é comum devido à atratividade que cada instituição deve oferecer para que as pessoas invistam, a depender do perfil de cada um.

Outro fator que pode atribuir uma alta rentabilidade à aplicação são os vencimentos, ou seja, o tempo que o dinheiro deve ficar investido. Quando isso acontece as instituições financeiras oferecem maiores taxas de juros para a atratividade do investimento.

No mercado financeiro, em geral, existem dois tipos principais de aplicações financeiras: Renda Fixa, que o rendimento pode ser previsto desde a aplicação, e os de Renda Variável, em que é possível obter até prejuízo.

Aplicações com maior rentabilidade para cada perfil de investidor

As aplicações se diferenciam pelo perfil de cada pessoa que pretende investir em relação aos riscos que está disposta a enfrentar, pois existem aqueles mais conservadores, os moderados e os mais agressivos.

As melhores aplicações para um perfil conservador

Estes são investimentos para quem pretende investir com maior segurança, especialmente para a proteção do patrimônio que possui, como por exemplo a tradicional poupança. O problema é que nos últimos anos a poupança tem rendido menos do que a própria inflação, o que deixa essa aplicação com rentabilidade negativa mesmo sendo mais segura.

As melhores aplicações para este perfil são:

  • Tesouro Direto (SELIC ou IPCA);
  • CDB;
  • LCI e LCA.

Destas, o Tesouro Direto é conhecida por ser a mais segura, já que é emitida pelo governo, e a que possui maior liquidez, caso seja necessário resgatar o dinheiro aplicado.

As LCIs e as LCAs são investimentos oferecidos pelos bancos, onde o dinheiro é destinado aos setores imobiliário (LCI) e ao agronegócio (LCA), que retornam juros a quem aplica, com a vantagem adicional de não incidir Imposto de Renda.

Os CDBs funcionam como um empréstimo que fazemos aos bancos, que utilizam o dinheiro para suas atividades e retornam juros. Por possuir Imposto de Renda é possível analisar se a rentabilidade é maior ou menor em comparação às LCIs e LCAs.

Os CDBs, como também as LCIs e as LCAs, possuem a mesma segurança para aplicações em menos de R$ 250 mil devido ao Fundo Garantidor de Crédito (FGC). São ofertados nas opções pré-fixadas, pós-fixadas ou híbridas

As melhores aplicações para um perfil moderado

No perfil moderado incluem investidores que procuram sair da zona de conforto em busca de uma rentabilidade um pouco maior, sem atingir, porém, os maiores riscos como os de investimentos em ações.

Além disso, é um investidor que consegue aplicar seu dinheiro por um longo prazo, possui um capital mais alargado e bons conhecimentos sobre como investir.

Para este perfil as melhores aplicações são:

  • Tesouro Direto Pré-fixado 2025 ou IPCA + 2035;
  • Debêntures;
  • Letras de câmbio.

Neste caso, o Tesouro Direto continua a ser a mais segura, porém é um investimento que além de ser prefixado tem vencimento apenas em 2025, um longo prazo para ser obter rentabilidade.

Outra opção de título do governo é o Tesouro híbrido que varia com o IPCA, o índice de inflação, mais uma taxa que gira em torno dos 5% ao ano, com vencimento até 2035.

As Debêntures funcionam como os títulos do governo, mas desta vez o "empréstimo" do dinheiro é destinado às empresas, passando a existir um risco de crédito, além de não estar protegida pelo FGC. É um investimento de longo prazo que tem apresentado alta rentabilidade nos últimos anos e recomendado aos investidores moderados.

As Letras de Câmbio possuem rentabilidade em renda fixa, como os CDBs, com a diferença de que o dinheiro é aplicado em financeiras, que acabam por oferecerem uma alta rentabilidade. O risco é menor se investido menos do que R$ 250 mil garantidos pelo FGC.

As melhores aplicações para um perfil agressivo

Investidores com perfil agressivo são aqueles que estão mais familiarizados com aplicações de maiores riscos, além de já terem um amplo conhecimento sobre o assunto.

As melhores aplicações para este perfil são:

  • Ações na Bolsa de Valores;
  • Fundos de Ações;
  • Fundos Multimercados.

Investimentos em renda variável são as aplicações mais rentáveis para quem sabe investir, principalmente com a queda das taxas de juros no Brasil. Este é o caso das ações na Bovespa, Bolsa de Valores de São Paulo, que só tem acumulado crescimento nos últimos anos.

No mercado de fundos de investimento, os Fundos Multimercados foram os que registraram maior rentabilidade entre todos os tipos de aplicações financeiras. Neste caso o capital investido fica a cargo de um gestor que realizar aplicações em diferentes tipos de ativos, o que o torna um pouco mais arriscado dependendo das características do fundo de investimento.

O que é uma aplicação financeira?

Uma aplicação financeira consiste de quando reservamos uma parte de nosso dinheiro para um investimento, que possui um rentabilidade associada. Isso acontece pelo fato de que as instituições financeiras precisam levantar fundos, que são utilizados para emprestar a quem precise.

Da mesma maneira, uma empresa pode estar interessa em expandir suas atividades e procura capital para isso, e é assim que aparecem oportunidades de investimentos como as ações e os títulos, por exemplo.

Por se tratar de um investimento é de se esperar que quem faça a aplicação deseja ganhar em troca uma rentabilidade, e esta pode ser muito diferente de uma aplicação para outra.

Nos últimos anos as aplicações em poupança têm apresentado rentabilidade muito inferior aos outros investimentos em renda fixa, como os CDBs, Tesouro Direto, LCI e LCA, que se tornaram ainda mais atrativos.

É preciso ressalvar que, no caso de investimentos em renda fixa, as taxas que remuneram a aplicação podem ser:

  • Pré-fixados: uma taxa de rentabilidade conhecida no momento da aplicação;
  • Pós-fixados: uma taxa fixa atrelada a um índice variável, como por exemplo 110% CDI;
  • Híbridos: um misto de taxa fixa somada a um índice variável, como por exemplo 4% + IPCA.

Mesmo nos investimentos em renda fixa os riscos estão presentes, como por exemplo se o banco vier a pedir falência. Porém a maioria dos investimentos deste tipo são protegidos pelo FGC, um fundo que reembolsa o investidor em em até R$ 250 mil caso isso aconteça.

Análise Swot Aplicações financeiras com maior rentabilidadeO que é asset management?