O que é e como funciona a Oferta Pública Inicial (IPO)

A Oferta Pública Inicial acontece quando uma empresa de capital aberto oferta ações no mercado pela primeira vez. É também conhecida pelo nome em inglês Initial Public Offering ou IPO.

Este processo acontece quando uma sociedade de capital fechado oferta ações com o objetivo de se transformar em uma sociedade de capital aberto.

Além abrir o capital da empresa, lançar IPOs permite arrecadar fundos para serem investidos. Para os futuros acionistas, esta pode ser uma forma de obter ganhos com os lucros da empresa ou com a vendas dessas ações para outros investidores no mercado secundário.

A Oferta Pública Inicial (IPO) é diferente da Secondary Equity Offering ou Seasoned Equity Offering (SEO), quando a empresa emite novas ações já sendo de capital aberto. Esta estratégia também permite arrecadar mais capital e expandir as atividades da companhia.

Como funciona o IPO?

Com a Oferta Pública Inicial, as ações de uma empresa tornam-se públicas e transacionáveis no mercado de ações. Nesta operação, investidores privados têm a oportunidade de se tornarem sócios de uma empresa que antes era de poucos sócios ou proprietários.

Para realizar a abertura de capital a empresa passa por um processo longo até que possa enfim disponibilizar suas ações para acionistas potenciais. Neste período a companhia deve montar uma equipe que serve apenas para a estratégia, além de contratar os serviços de um banco de investimentos para disponibilizar as ações.

Ainda antes de iniciar a oferta pública, a companhia deve:

  • Cadastrar-se como uma companhia de capital aberto na Comissão de Valores Mobiliários (CVM);
  • Registrar a oferta pública de valores mobiliários, na qual a empresa poderá disponibilizar suas ações no mercado, também pela CVM;
  • Registrar e emitir as ações através da bolsa de valores. No Brasil, acontece através da B3, a Bolsa de Valores de São Paulo.

Em meio a estas etapas é que o público toma conhecimento da intenção de que haverá a oferta pública em breve. As demonstrações financeiras também são divulgadas para análises.

Tudo isso é liderado pela equipe de gestores que preparam a abertura do capital e a emissão das ações. Além disso, avaliam como é a demanda pelas ações, qual o preço potencial e definem a data para o IPO.

Na última de todas as etapas é que acontece a oferta pública por meio da B3.

Vantagens e desvantagens do IPO

Pelo lado da companhia, a abertura de capital é uma oportunidade de crescer além do patamar que se encontrava anteriormente à estratégia, aumentando consideravelmente o capital da empresa.

Além do mais, este crescimento acaba por ser demonstrado ao público e aos stakeholders da empresa, podendo alavancar as vendas e o poder de mercado.

Como desvantagem principal está o custo para fazer este processo, já que envolve a contratação de diversos agentes especializados e o pagamento de diferentes taxas.

Do lado de quem deseja investir e comprar ações IPOs, tanto pode ser possível a queda, quanto a valorização no preço destes ativos após a compra.

O que é IPCA? O que é e como funciona a Oferta Pública Inicial (IPO) IRPJ