Empregabilidade

Elisângela Dias
Elisângela Dias

O que é Empregabilidade?

Empregabilidade é a capacidade de um profissional se manter na sua atual função ou em encontrar uma colocação profissional. Pode ser entendida como aquilo que define se um profissional está apto ou não para uma vaga.

A empregabilidade é composta pelo conjunto das competências essenciais de um indivíduo no mercado de trabalho. São elas as características técnicas, como domínio da função e qualificação, mas também habilidades interpessoais, como o trabalho em equipe, socialização, entre outros atributos que passam a ser cada vez mais valorizados pelos recrutadores.

O potencial de empregabilidade em tempos de crise é diretamente influenciado pela capacidade do profissional em valorizar e divulgar seu trabalho. Assegurar suas competências e mostrar-se útil e eficaz diante de momentos difíceis pode ser crucial para manutenção na organização, ou para a obtenção de uma nova posição.

Para um mesmo trabalhador, o grau de empregabilidade vai variar conforme a vaga. Por mais que o indivíduo preencha os requisitos para a função, há situações em que a área de trabalho, a remuneração, a equipe ou a localização da empresa podem não corresponder às expectativas. Neste caso, o nível de empregabilidade da pessoa será mais baixo, por causa do potencial de insatisfação com estas condições.

Fatores que influenciam na empregabilidade

  • Competência e técnica: Formação adequada à vaga, nível de escolaridade, qualificação das escolas por onde passou. E também a comprovação da técnica adquirida pelas experiências anteriores.
  • Habilidade e Vocação: além de diplomas na área, é preciso que o indivíduo se identifique com a área em que atua, que a função que exerce ou quer exercer represente seu chamado vocacional.
  • Bem-estar físico e mental: Não é novidade que a situação de saúde do profissional e da sua família influencia na produtividade. Quem cuida da sua saúde e procura trabalhar internamente como lidar com problemas desta natureza consegue um controle mental que favorece sua capacidade profissional.
  • Situação financeira: Ter uma reserva, outras fontes de renda e/ou um plano B para o sustento aumentam o grau de empregabilidade. Pois se trata de um profissional mais seguro, que aparenta um bom nível de organização financeira, o que obviamente repercute no exercício da sua função.
  • Habilidade interpessoal: Além de ser capaz de trabalhar em equipe e de manter um bom relacionamento com clientes, a prática do networking também aparece enquanto fator de empregabilidade. Network nada mais é do que a rede de contatos que uma pessoa forma, relacionada ao mercado de trabalho. Sejam pessoas com quem já trabalhou anteriormente, aqueles que conheceu em um evento da área, amigos que atuam no mesmo mercado, etc. Conhecer as pessoas certas, que podem apresentar outras pessoas, aumenta o grau de empregabilidade.

Empregabilidade e profissionalismo

Os conceitos de empregabilidade e profissionalismo são complementares, mas não exatamente iguais. Enquanto a empregabilidade é um conjunto de competências mais amplo, que envolve o relacionamento interpessoal e a formação, o profissionalismo está principalmente atrelado ao comportamento de um profissional dentro do ambiente de trabalho e o respeito às questões éticas. 

Quando diz-se que determinado profissional não teve profissionalismo, quer dizer que ele apresentou um comportamento inadequado como fazer fofoca para prejudicar um colega, mentir ou destratar um cliente, entre outras atitudes negativas. Um maior grau de profissionalismo aumenta o potencial de empregabilidade. 

Elisângela Dias
Elisângela Dias
Graduada em Gestão de Recursos Humanos pela Universidade Estácio de Sá em 2004. Pós graduada em Gestão de Projetos pela Universidade Cândido Mendes em 2007.