O que é salário bruto e qual a diferença com salário líquido

O salário bruto é a remuneração pelo qual o trabalhador é contratado e que é combinado entre empregador e empregado. Também pode ser conhecido como salário nominal.

Essa remuneração passa por diferentes descontos e vai se reduzindo até que se chega ao valor que cai na conta do empregado: o salário líquido.

Entre os principais descontos está a contribuição à Previdência Social e a recolha ao Imposto de Renda, este calculado após o que é descontado ao INSS.

Diferença do salário bruto e líquido

Desde a contratação, o trabalhador de carteira assinada e o empregador definem a remuneração a ser paga, considerando ainda que ela pode ir aumentando nos próximos períodos.

Este salário bruto é também conhecido como nominal e incide de formas diferentes para o empregador e empregado.

No caso do empregador, o salário bruto é apenas uma base do verdadeiro custo de contratação do funcionário. De sua parte ainda se somam outros custos como o FGTS e INSS Patronal por conta do empregador, e os custos da operação.

Já para o trabalhador, o salário bruto é a remuneração pelo qual é contratado. Após, descontos são feitos sobre este salário antes de receber a remuneração líquida.

Além de descontos ao INSS e ao Imposto de Renda, estão incluídos outros descontos por conta do trabalhador e que podem ser vistos no contracheque. Alguns deles são o vale-transporte, vale-alimentação e planos de saúde.

Vale perceber que mesmo com os descontos, boa parte ainda conta para os proventos adquiridos pelo trabalhador. O FGTS, por exemplo, fica depositado em uma conta e pode ser utilizado posteriormente em casos de demissão ou na aquisição de um imóvel.

Cálculo do salário líquido

Como foi visto, o salário bruto serve como referência para que sejam aplicados os descontos antes de ser pago na sua forma líquida.

De uma forma simples, para se chegar ao salário líquido apenas é preciso subtrair o IR, INSS e outros descontos que façam parte do acordo.

Para ser calculado, o primeiro deles deve ser o INSS que incide de forma progressiva: quanto maior o salário, maior a proporção descontada. Após isto, o cálculo segue para o imposto de renda.

No IR, utiliza-se o salário após INSS como base, considerando ainda o número de dependentes do trabalhador.

RPA: saiba como funciona e emissão do recibo a autônomos O que é salário bruto e qual a diferença com salário líquido Salário mínimo no Brasil