Como calcular o desconto do INSS

Os descontos para o INSS são aplicados sobre o salário nominal de trabalhadores registrados. Em cada faixa salarial o desconto é proporcional, aumentando conforme o salário é maior.

Com a reforma da previdência houve alterações nas alíquotas a serem cobradas e na forma de cálculo, tornando a contribuição ao INSS a ser feita de forma progressiva.

Entre o menor valor da faixa salarial (piso) e o maior valor (teto) de cada faixa, é cobrada uma quantia até que se atinja o valor do salário. As atuais alíquotas são:

  • 7,5% até um salário mínimo (R$ 1.100,00)
  • 9% para quem ganha entre R$ 1.100,01 e R$ 2.203,48
  • 12% para quem ganha entre R$ 2.203,49 e R$ 3.305,22
  • 14% para quem ganha entre R$ 3.305,23 e R$ 6.433,57

Salários que se enquadram neste regime geral e que estão acima do teto da previdência de R$ 6.433,57 contribuem os mesmos R$ 751,97. Neste patamar a alíquota efetiva é de 11,69%.

Como calcular passo a passo

Conhecendo as alíquotas, o desconto para o INSS deve ser calculado para cada faixa até que se atinja o valor do salário bruto.

Entre cada parcela, o cálculo é feito considerando o máximo e o mínimo destas e a alíquota a ser aplicada. Enquanto o valor do salário não é atingido, é considerado o teto da faixa salarial.

Veja como fica o cálculo para um salário de R$ 3.000,00 como exemplo, que se encontra na terceira faixa:

  • 1ª faixa salarial: 1.100,00 x 0,075 = 82,50
  • 2ª faixa salarial: [2.203,48 - 1.100,00] x 0,09 = 1.103,48 x 0,09 = 99,31
  • Faixa que atinge o salário: [3.000,00 - 2.203,48] x 0,12 = 796,52 x 0,12 = 95,58
  • Total a recolher: 95,58 + 99,31 + 82,50 = 277,39

Com este resultado é possível calcular a alíquota efetiva que se encontra em cerca de 9,25% (277,39 ÷ 3.000,00).

Método alternativo

Outra forma de calcular o desconto ao INSS é fazer como no imposto de renda: multiplicando o valor pela alíquota correspondente e subtraindo uma parcela a deduzir.

Para calcular por esta forma, desenvolvemos a tabela a seguir com parcelas a deduzir para cada faixa salarial:

Tabela de contribuição INSS (2021)
Salário de contribuição Alíquota Parcela a deduzir Contribuição no teto
Salário mínimo: R$ 1.100,00 7,5% - R$ 82,50
De R$ 1.100,01 a R$ 2.203,48 9% 16,50 R$ 181,81
De R$ 2.203,49 a R$ 3.305,22 12% 82,61 R$ 314,01
De R$ 3.305,23 a R$ 6.433,57 14% 148,72 R$ 751,97

Desta forma, basta identificar a faixa que se encontra o salário, aplicar a alíquota e subtrair a parcela correspondente à faixa salarial.

Com o salário nominal em R$ 3.000,00 do exemplo anterior, o cálculo por este método fica:

  • Alíquota correspondente: 3.000,00 x 0,12 = 360,00
  • Parcela a deduzir: 360,00 - 82,61 = 277,39

Este resultado é encontrado truncando nas duas casas decimais. Para encontrar as parcelas de dedução, comparamos os valores com os resultados obtidos pelo método direto.

Por exemplo, no teto de contribuição de R$ 6.433,57 o valor a contribuir é de R$ 751,97. Pelo método direto, calculando faixa a faixa, o cálculo fica:

  • 1ª faixa salarial: 1.100,00 x 7,5% = 82,50
  • 2ª faixa salarial: (2.203,48 - 1.100,00) x 9% = 1.103,48 x 9% = 99,31
  • 3ª faixa salarial: (3.305,22 - 2.203,48) x 12% = 1.101,74 x 12% = 132,20
  • 4ª faixa salarial: (6.433,57 - 3.305,22) x 14% = 3.128,35 x 14% = 437,96
  • Total a recolher: 82,50 + 99,31 + 132,20 + 437,96 = 751,97

Se optarmos pelo cálculo feito diretamente em 14% de R$ 6.433,57 ficamos com R$ 900,69. A diferença para o valor a contribuir que encontramos pelo método direto, é o valor da parcela a abater dentro desta faixa:

  • 900,69 - 751,97 = 148,72

Com os outros valores que se encaixam na 4ª linha da tabela, vemos que a parcela a deduzir é a mesma e o método funciona. Para encontrar as outras parcelas o processo é o mesmo.

Lembrando que utilizamos ao final valores truncados aos centavos, método amplamente utilizado. Contudo, a tabela pode ser utilizada principalmente para conferir os valores calculados pelo método direto ou para utilizá-los em planilhas.

Cálculo do salário líquido

Após definir os valores que se destinam ao INSS, o próximo passo para calcular o salário líquido é descontar o Imposto de Renda a ser retido na fonte.

Para calcular o desconto do imposto de renda utilizamos a tabela com os valores das alíquotas, considerando que existe uma dedução por dependente de R$ 189,59.

Tabela IRRF
Base de cálculo Alíquota Parcela a deduzir
Até 1.903,98 - -
De R$ 1.903,99 até R$ 2.826,65 7,5% 142,80
De R$ 2.826,66 até R$ 3.751,05 15% 354,80
De R$ 3.751,06 até R$ 4.664,68 22,5% 636,13
Acima de R$ 4.664,68 27,5% 869,36

A base de cálculo do IR é o valor do salário bruto subtraído do desconto ao INSS e da respectiva dedução por dependente. A seguir, basta multiplicar pela alíquota da tabela e deduzir a parcela.

Por exemplo, para o salário bruto de R$ 3.000,00 e com um desconto INSS de R$ 281,64, se considerarmos que o trabalhador tem um dependente, o cálculo fica:

  • Salário após desconto ao INSS: 3.000,00 - 277,39 = 2.722,61
  • Desconto para um dependente: 2.722,61 - 189,59 = 2.533,02

Consultando a tabela, vemos que a base de cálculo se enquadra na segunda linha. Com isso, multiplicamos a alíquota e subtraímos a dedução:

  • Alíquota: 2.533,02 x 0,075 = 189,97
  • Parcela a deduzir: 189,97 - 142,80 = 47,17

Ao final, podemos calcular o salário líquido subtraindo a contribuição ao INSS e o desconto ao IR, sendo neste caso um valor de R$ 2.675,44 líquidos.

Lembrando que podem existir outros descontos conforme cada caso. Por exemplo: os descontos para vale-transporte, convênios médicos, seguros e outros.