O que é empreendedorismo?

Elisângela Dias
Elisângela Dias
Gestora de Recursos Humanos

Empreendedorismo é o ato de empreender, ou seja, fazer algo novo e diferente dentro de um mercado, de uma empresa ou para a sociedade. No mundo dos negócios, o termo se refere à busca por novas oportunidades por meio da criatividade e da inovação.

Uma das formas mais comuns de empreendedorismo é a abertura de novas empresas, inicialmente de pequeno porte. Por esse motivo, é comum que qualquer indivíduo que se arrisque a abrir seu próprio negócio seja chamado de empreendedor. 

No entanto, a definição formal de empreendedorismo pressupõe colocar em prática uma ideia nova, oferecendo um serviço ou produto inédito ou adotando uma nova maneira de fazer algo que já existe. Para ser um verdadeiro empreendedor, portanto, é preciso ser, de certa forma, pioneiro.

Empreendedorismo nas empresas

Apesar de estar intimamente ligado ao surgimento de novos negócios, o conceito de empreendedorismo também pode ser aplicado a empresas já consolidadas no mercado. Neste caso, ele é chamado de empreendedorismo corporativo, empreendedorismo interno ou intraempreendedorismo.

O empreendedorismo corporativo é a busca por formas inovadoras de aumentar ainda mais o lucro e o crescimento de uma empresa, diversificando o leque de negócios ou introduzindo novos métodos de trabalho ou produtos no mercado.

Um intraempreendedor não precisa necessariamente ser o proprietário ou o gestor da empresa. O termo se aplica a qualquer colaborador com visão e iniciativa, capaz de identificar problemas e descobrir soluções que beneficiem o negócio como um todo.

Por esse motivo, o empreendedorismo corporativo costuma se desenvolver onde existe uma cultura empresarial específica. Esta cultura deve estimular os funcionários a se engajarem no desenvolvimento da empresa. Além disso, ela deve permitir espaço para a apresentação de novas ideias.

Empreendedorismo social

Quando o objetivo principal do empreendedor ao colocar sua ideia em prática não é o lucro, mas sim uma melhoria na sociedade, sua atividade é classificada como empreendedorismo social.

Meio ambiente, educação e saúde são algumas das áreas em que o empreendedorismo social pode se desenvolver.

O que delimita o empreendedorismo social é que a inovação precisa vir acompanhada pela aplicação do conceito de responsabilidade social. Porém, apesar de ser guiado por uma causa, o empreendedor social atua com fins lucrativos. É nesse aspecto que ele difere de uma Organização Não Governamental (ONG).

Poderíamos citar como exemplo de empreendedorismo social uma marca que capacita artesãos de uma determinada comunidade. Esta marca visa a profissionalização de suas atividades tradicionais abrindo mercados para os produtos fabricados após adquiri-los por preços justos.

Empreendedorismo digital

O empreendedorismo digital utiliza a internet como plataforma de negócios para oferecer produtos ou serviços diferenciados após a identificação de um nicho de mercado.

O termo pode ser aplicado a sites, blogues, páginas em redes sociais, canais no Youtube ou mesmo newsletters enviadas por e-mail, desde que visem gerar lucro.

A inovação que caracteriza o empreendedorismo digital não precisa necessariamente estar vinculada à criação de uma nova empresa. Uma marca já estabelecida pode empreender digitalmente se expadir seu negócio criando uma plataforma de e-commerce, por exemplo.

Um exemplo de empreendedorismo digital são as startups responsáveis pela criação de redes sociais ou aplicativos inovadores. Mas nem todo o empreendimento digital é uma startup, já que esse modelo de negócio pressupõe o crescimento a um ritmo rápido.

Empreendedorismo em série

O empreendedorismo em série é a capacidade de pôr em prática várias ideias inovadoras de negócios de forma bem sucedida.

O empreendedor serial (serial entrepreneur, em inglês) é o tipo de profissional que está constantemente em busca de novas oportunidades. Ele tem visão para identificar demandas e nichos de mercado, iniciativa para transformar essas ideias em novos negócios e talento para fazê-los prosperar.

O serial entrepreneur é responsável pelas novas ideias de empreendimentos, mas não necessariamente pela gestão. Ele pode ser apenas um incentivador dos primeiros passos da nova empresa, dando o suporte necessário no começo, mas se retirando da operação depois de estabelecido o projeto, ficando livre para encarar um novo desafio.

Como surgiu o termo empreendedorismo?

Embora o ato de aproveitar oportunidades por meio da inovação seja quase tão antigo quanto a humanidade, o uso da expressão empreendedorismo tem suas raízes na obra do economista austríaco Joseph A. Schumpeter, com a publicação do livro “Capitalismo, socialismo e democracia”, em 1942.

Schumpeter usou o termo empreendedor para denominar o agente responsável pelo processo de destruição criativa que ele considerava a essência do capitalismo. A destruição criativa é o processo de substituição de velhos produtos, empresas e práticas, que se tornam obsoletos e deixam de existir diante das inovações do mercado.

Você também pode ter interesse em Características de um empreendedor de sucessoMEI - Microempreendedor IndividualStartup.

Elisângela Dias
Elisângela Dias
Graduada em Gestão de Recursos Humanos pela Universidade Estácio de Sá em 2004. Pós graduada em Gestão de Projetos pela Universidade Cândido Mendes em 2007.