O que é Clearing House

Uma Clearing House, mais conhecida como Câmara de Compensação, é um sistema que viabiliza a relação entre compradores e vendedores em um mercado financeiro, registrando e processando as transações existentes.

A compensação é um procedimento intermédio que regulamenta a compra e venda de um instrumento financeiro, sendo necessária para que o mercado seja eficiente e seguro.

Como funciona uma clearing house

O sistema que envolve a clearing house regulamenta a compensação e a liquidação de ordens de compra e venda, realiza o acerto de contas e entrega os instrumentos financeiros aos compradores e o pagamento aos vendedores.

Este processo pode ser realizado pela própria instituição ou por uma agência externa, onde a câmara assume os lugares dos compradores e dos vendedores, passando a ser um terceiro agente na transação.

As clearing houses são importantes para garantir o relacionamento entre agentes financeiros, já que é quem garante a existência do título a ser vendido e de capital suficiente para adquirir este título.

Além disso, em mercados de futuros e opções este intermédio envolve assegurar o cumprimento dos contratos e proteger as contrapartes durante o período contratado.

Exemplo

Para um comprador A e um vendedor B negociarem ações na bolsa de valores, o sistema deve garantir tanto a existência destes instrumentos financeiros por parte de B, como ainda a quantia disponível na conta do comprador A.

Sem a existência deste mecanismo, o comprador e o vendedor das ações não teriam apoio nem garantias para realizarem este negócio.

Clearing house no Brasil

No Brasil as clearing houses estão presentes em diferentes operações na bolsa de valores ou em operações que envolvem títulos públicos.

O Sistema Especial de Liquidação e Custódia, mais conhecido como Selic, é o sistema responsável pelos títulos públicos federais, enquanto são negociados entre os bancos comerciais.

Já no âmbito privado, toda custódia e liquidação está sob comando da B3 (Brasil, Bolsa, Balcão), em operações que envolvem títulos de renda fixa, variável, derivativos, entre outros.

Com a fusão que deu origem à B3 os sistemas de liquidação e custódia da Central de Liquidação e Custódia de Títulos (Cetip) e a Câmara de Ações da Bovespa passaram a estar em conjunto.