Bitcoin: entenda o que é e como funciona a moeda digital

Bitcoin é uma moeda transacionada somente por meios digitais e é a pioneira no mundo das criptomoedas (moedas digitais). Diferente das moedas comuns, o Bitcoin funciona de maneira descentralizada, ou seja, sem um controle central por meio de bancos ou governos.

Para garantir que as operações aconteçam de maneira regular, o Bitcoin e outras criptomoedas utilizam o Blockchain. Este sistema garante a viabilidade da moeda, fazendo com que todas as operações na rede sejam públicas, além de evitar que haja dupla contagem para as criptomoedas.

Como funciona o Bitcoin?

O Bitcoin funciona como uma espécie de compartilhamento de arquivos na internet, mas para a troca das moedas e das informações sobre as operações.

Através do sistema Blockchain, cada transação de Bitcoin é verificada e aprovada por diversos computadores que realizam este trabalho ao redor do mundo.

A proteção do sistema é feita por todos os computadores que se voluntariam ao trabalho e que devem resolver problemas matemáticos complexos para aprovar cada operação.

Esse processo, conhecido como "mineração", adiciona as informações da operação em blocos digitais. Assim, formam em conjunto uma espécie de livro contábil, por isso o nome Blockchain.

As informações dos blocos são protegidas por um código conhecido por hash ou proof of work, que ainda garante que o sistema seja interligado, uma vez que cada bloco possui o próprio hash e o do bloco anterior.

O Bitcoin é uma moeda que só existe no meio digital. Por isso, para comprar ou pagar será preciso que o usuário tenha uma conta online protegida com senha, e essa parte não fica exposta à rede como as operações do Blockchain.

A criação de mais Bitcoins também é controlada pelo sistema, que emite uma quantidade cada vez menor e está programado a parar quando atingir 21 milhões de Bitcoins em circulação.

Esses valores são emitidos para novos compradores e para os mineradores da moeda.

O valor do Bitcoin deriva de outras moedas, como o dólar, e é determinado pela oferta e procura. Ou seja, com um intenso aumento da procura, mais dólares são necessários para adquirir a criptomoeda.

Se tem interesse em saber mais sobre o funcionamento do Bitcoin, entenda melhor como funciona o sistema Blockchain.

Como comprar Bitcoin?

Para realizar transações na rede Bitcoin, é preciso criar uma "carteira virtual". As carteiras no sistema do Bitcoin são compostas por duas chaves criptográficas: uma pública e outra privada.

A chave pública será utilizada pelo Blockchain para tomar conhecimento das transações, enquanto a chave privada apenas o dono da conta conhece e utiliza para fazer suas operações.

O usuário que deseja obter Bitcoins deve disponibilizar um número de documento que o identifique, como o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF).

Existem diferentes empresas que realizam esse serviço pela internet, mas antes recomenda-se conhecer bem sua reputação, pesquisando as experiências de outros usuários.

Para completar o processo e começar a comprar a criptomoeda será preciso trocar reais, disponibilizando uma conta bancária, ou um cartão de crédito ou débito que se conecte diretamente à conta.

Origens da Bitcoin

O Bitcoin surgiu no final de 2008, sendo apresentado em um white paper de um autor nomeado como Satoshi Sakamoto, cuja verdadeira identidade nunca foi revelada.

Por meio deste documento, foram apresentadas as funcionalidades da criptomoeda e do sistema Blockchain como garantidor das operações.

Em janeiro de 2009, o primeiro bloco contendo 50 Bitcoins (BTC) foi minerado, lançando oficialmente a moeda digital. A partir deste ano a tecnologia Bitcoin passou a ser expandida e atualizada em novas versões, até que começou a crescer a partir de 2010.

Nos últimos anos, o Bitcoin tem atraído a atenção de investidores por ser uma moeda que atua de forma independente. Além disso, seu valor de mercado cresceu exponencialmente, chegando a valer 19 mil dólares no final de 2017.

Após a criação e sucesso do Bitcoin, outras moedas digitais, conhecidas como Altcoins, foram criadas, com características e parâmetros diferentes de sua precursora.

Bitcoin é uma moeda segura?

Apesar de não ser uma moeda controlada por nenhuma instituição, o Bitcoin tem conquistado muitos adeptos nos últimos anos por causa de um sistema seguro, como o Blockchain.

Além do sistema, o mercado de Bitcoin está composto por empresas que atuam como plataforma de compra e venda. E algumas delas, já sofreram ataques virtuais.

O maior desses ataques ocorreu em 2014, quando a MtGox foi roubada em 473 milhões de dólares, deixando todos os seus clientes sem Bitcoins.

Esquemas de pump and dump ou de pirâmides também têm acontecido em meio às criptomoedas, onde é prometido um elevado retorno financeiro para usuários que são incentivados a atrair mais pessoas para o esquema.

Como investimento, é preciso entender que tanto o Bitcoin quanto todas as outras criptomoedas possuem um valor que deriva do comportamento incerto do mercado.

Em resumo, pode se valorizar e se desvalorizar. Ter o Bitcoin como investimento, significa ter um rendimento variável, podendo trazer ganhos ou perdas.

Mas caso queira entender como esse investimento pode funcionar, saiba mais sobre como investir em renda variável.

Índice Big Mac Bitcoin: entenda o que é e como funciona a moeda digital Blockchain: entenda o que é e como funciona de maneira simples