Entenda como funciona o cheque especial e saiba como escapar dele

O que é e como funciona o cheque especial?

O Cheque Especial é um montante que os bancos disponibilizam em conta corrente e que funciona como um pequeno empréstimo caso o usuário faça o seu uso.

A quantia se torna parte do saldo do cliente do banco e pode ser utilizado para eventuais débitos ou emergências.

O pagamento deste empréstimo ocorre de maneira automática após a entrada do próximo salário ou quantia que cubra o valor tomado do cheque especial.

Por que os juros do cheque especial são tão altos?

O Cheque Especial funciona como uma espécie de empréstimo que já fica pré-aprovado e disponível em conta.

A quantia fica acessível e ao mesmo tempo parada, até que o cliente resolva usar. Por conta disso, os juros cobrados são altíssimos, podendo passar dos dois dígitos ao mês e em mais de 300% ao ano.

Quando fazemos um empréstimo comum, podemos negociar as condições e realizar um contrato próprio para a operação. A ausência destes fatores é o que encarece ainda mais o cheque especial.

Para conter os altos juros, desde julho de 2018 foram definidas novas regras para os bancos que oferecem o cheque especial aos clientes:

  • O banco deve avisar o cliente quando não existir saldo suficiente em conta e precisar usar o limite do cheque especial;
  • Será preciso deixar claro que o cliente contratou um crédito pré-aprovado;
  • O banco tem que oferecer uma opção para o cliente parcelar o saldo devedor com juros mais baixos do que o original;
  • O valor do limite do cheque especial deve ficar claro no extrato, para não ser confundido com o saldo disponível na conta corrente do consumidor.

Além de todas essas condições, o banco deve oferecer um parcelamento mais barato. Isto para quem usar mais de 15% do limite do cheque especial durante 30 dias seguidos.

Passo a passo para sair do cheque especial

Se o cheque especial já faz parte de sua rotina financeira, então seu dinheiro pode estar ficando cada vez mais comprometido para o pagamento dos juros.

Para se ter ideia, uma utilização de R$ 1.000 em cheque especial pode gerar uma dívida de mais de R$ 4.000 em um ano. São mais de R$ 3.000 só em juros para o banco.

Mas como nunca é tarde, é preciso começar a agir para se livrar desta quantidade enorme de juros e listamos alguns passos abaixo.

1. Entenda como o cheque especial fez/faz parte de sua rotina de gastos

O primeiro passo é procurar entender quais gastos adicionais comprometeram o salário ao ponto de ter utilizado o cheque especial. Isto porque que só a renda não foi capaz de cobrir tudo.

Para facilitar o processo, utilize o extrato da conta bancária e coloque os dados em uma planilha de maneira organizada. A partir disso, será possível eliminar alguns destes gastos e começar a planejar melhor o uso do salário.

2. Negocie a dívida do cheque especial em parcelas que o salário dê conta

O próximo passo é ir até o banco e negociar os valores devidos. Só assim é que o reembolso à instituição financeira poderá se padronizar dentro de seu planejamento financeiro.

Uma das opções é negociar um empréstimo com o próprio gerente. Assim pode conseguir taxas de juros mais reduzidas, mensalidades fixas e juros mais reduzidos que o do cheque especial.

3. Continue mantendo os gastos sob controle e deixe a conta sem cheque especial

Por fim, com o cheque especial resolvido, continue a manter em dia o seu planejamento financeiro. Mantenha firme também o compromisso de pagar o que foi combinado com o banco.

O melhor depois disso tudo é permitir que haja um limite bem reduzido em cheque especial na sua conta. Ou limite nenhum, pois pode ser tentador utilizar este dinheiro novamente.

Veja também 10 dicas para começar a economizar dinheiro e realizar sonhos.

Como evitar o uso do cheque especial

Entrar no cheque especial pode ser muito comum, principalmente pela facilidade em que esta modalidade de crédito é oferecida. Apesar disso, é possível evitar o uso controlando o saldo da conta por meio do aplicativo que o banco oferece, por exemplo.

Em caso de necessidade de empréstimo, o melhor sempre é optar pela via direta. Entre em contato com o banco para tomar um dinheiro em que o retorno seja feito à taxas mais moderadas.

Se ainda assim o cheque especial for necessário, procure saber em quantos dias o banco o oferece sem a cobrança de juros. Normalmente é um período entre 10 e 15 dias, mas saiba antes se poderá repor o saldo dentro deste prazo.

Antes de possuir esse "limite extra" em conta, entenda todas as condições exigidas e use com responsabilidade. Do contrário, o melhor é deixar a conta sem o cheque especial.

Confira as opções de investimento oferecidas pelo seu banco. E saiba como investir em:

Cheque endossado Entenda como funciona o cheque especial e saiba como escapar dele O que é um cheque nominal?