Benchmarking

O que é Benchmarking?

Benchmarking é um processo empresarial que visa identificar as melhores práticas do mercado, por meio da comparação, a fim de incrementar a performance de uma companhia.

O conceito parte da medição entre a empresa e seus concorrentes, diretos e indiretos, e sua aplicação enquanto ferramenta de gestão deve ser feita de maneira constante. 

Benchmark, em inglês, significa marca de referência, ou seja, uma medida-padrão, geralmente um nível de excelência desejado pelo mercado, e o benchmarking é o processo de aferição.

Alguns autores sugerem que seja feito o benchmarking também fora da área de atuação da empresa, para identificar e adaptar técnicas de sucesso de outras indústrias.

Entre os objetivos deste processo estão a identificação de melhorias e a percepção de como outras empresas atingem determinada performance para que se aplique solução semelhante, ou melhorada, na própria companhia.

Tipos de Benchmarking

O tipo de benchmarking a ser aplicado varia conforme a informação disponível e o tipo de parceria a ser estabelecido entre empresas que fazem parte do estudo:

  • Benchmarking interno

Processo de avaliação do ambiente interno a fim de identificar boas práticas em determinados departamentos e adaptá-las a outras áreas. Ajuda a revelar padrões internos da organização e a medir o desempenho dos setores. Uma das facilidades deste tipo é o livre acesso a informações, por ser dentro da própria empresa.

  • Benchmarking competitivo

A identificação de processos e observação da performance das concorrentes diretas de uma empresa. Mais difícil de acessar informações, devido a questões estratégicas de não fornecimento de dados pelas outras partes. Na maior parte das vezes, este tipo é realizado por empresas de pesquisa ou consultoria, em estudos vendidos para uma ou mais companhias do mesmo setor.

  • Benchmarking de segmento

Aplicado a processos específicos dentro de um setor de negócios. Do ponto de vista quantitativo, a comparação torna-se mas fácil e perceptível, porém é limitada ao desempenho do setor.

  • Benchmarking Best-in-Class

Atua na comparação entre as melhores práticas em nível mundial, mesmo que estejam fora da indústria/setor da companhia que está realizando o benchmarking. É o tipo mais adequado quando se trata de buscar processos inovadores, embora seja a mais difícil no que consiste em identificar e comparar procedimentos.

  • Benchmarking de Performance

Processo em que são estabelecidos pontos de referência (outras empresas) para a medição do desempenho de uma companhia. Não é necessário visita às demais empresas, podendo ser feita por terceirizados ou consultorias.

  • Benchmarking de Processos

No caso das empresas com processos produtivos, a ferramenta compara as atividades entre a concorrência na busca das melhores práticas e resultados. É preciso ter parceria com outras empresas a bem de fazer visitas e perceber como são realizados tais procedimentos pelas outras companhias.

  • Benchmarking Estratégico

Ajuda no direcionamento da empresa, para acompanhar se os negócios seguem a missão/valores estabelecidos no planejamento estratégico. Visitas a outras empresa não são necessárias, bastando apenas informações estratégicas que podem ser fornecidas pelas parceiras.

Exemplo de Benchmarking: Metodologia Xerox

Criada por Robert Camp, um dos principais autores na área, a metodologia de benchmarking utilizada na Xerox é uma das mais populares entre os gestores. Foi desenvolvida a partir de um pedido da empresa para que houvesse uma comparação de custos de produção entre a Xerox e as concorrentes nos Estados Unidos.

O processo foi feito a partir de cinco etapas:

  1. Planejamento: É onde a base do processo é criada. O quê e como serão avaliados? Qual processo ou produto da empresa entra em análise, de que forma os dados serão recolhidos, como alcançar determinada informação, entre outros. A partir disto escolher o tipo de benchmarking mais adequado ao objetivo da empresa.
  2. Análise: É o momento de olhar para dentro da própria empresa a fim de poder compará-la com outras. Analisar quais os índices que devem ser buscados em outras companhias, determinar níveis e inclusive fazer projeções.
  3. Integração: Pós-coleta dos dados, é hora de integrar aos planos estratégicos já existentes na empresa.
  4. Ação: Integrados processos, é preciso aplicar as melhores práticas observadas no benchmarking, transformando-as em ações efetivas.
  5. Maturidade: O processo de benchmarking é constante, mas esta última etapa só será alcançada quando todos os processos da companhia corresponderem às melhores práticas do mercado, e a empresa for então líder no seu segmento.