O que é Swap?

No campo financeiro, o termo em inglês Swap que tem como significado de "troca", acontece quando há uma troca da posição financeira por outra.

Este termo tem origem na expressão inglesa "to swap" (trocar) e explica a ação que um investidor toma quando é possível alterar seu investimento para uma condição melhor.

A utilização de Swaps se dá por meio da troca de ativos, títulos, empréstimos, moedas, taxas de juros, entre outros. São  também muito utilizados para coberturas de riscos em investimentos, ou em especulação.

Como funcionam as operações de Swaps

As Swaps acontecem por meio de derivativos, em que os valores contratados são pagos posteriormente, e também, são indexados a algum índice que faz variarem a quantia a ser reembolsa. Estes índices podem ser o IPCA, a taxa Selic, a taxa de câmbio ou, ainda, indexado ao valor de outro ativo. 

As operações de trocas são comuns em contratos que envolvem taxas de juro, moedas e divisas internacionais ou commodities, que os valores variam. Sendo assim, a empresa ou o investidor pode alterar a posição em que acha que poderá se beneficiar com a troca.

Estas operações acontecem no conhecido mercado de balcão, ou seja, fora da Bolsa de Valores, sendo o Swap Cambial um dos mais comuns.

O que é Swap Cambial?

Um tipo de operação muito comum envolve o swap cambial, que permite ao investidor ou a uma empresa, cobrirem os riscos futuros em conversões de moedas estrangeiras.

Nesta operação é possível realizar a troca de indexadores com uma instituição financeira, ou mesmo com o Banco Central, pela remuneração de um investimento.

Um Swap Cambial também pode ser acordado entre países para que exista uma melhor estabilidade nas taxas de câmbio, principalmente para o controle da inflação na economia.

Exemplo

Um investidor que possui um rendimento em seu CDB, e que pretenda trocar reais por dólares dentro de 3 meses, sem passar pelos riscos da variação cambial.

Realizando um contrato de swap com uma instituição financeira, por exemplo, é possível cobrir o risco trocando o indexador que faz render o seu CDB, com outro que pague a variação cambial.

Caso a variação do dólar seja superior ao do CDB, o investidor recebe a diferença positiva, cobrindo o seu risco no momento da conversão cambial.