Como funciona o mercado cambial

O mercado cambial é um mercado global onde são trocadas moedas entre agentes econômicos, em que a moeda de um país é oferecida em troca da moeda de outro.

Neste mercado encontram-se os compradores e vendedores que realizam a troca de moedas estrangeiras, mais conhecidas como divisas.

O mercado de câmbio serve para diversas operações que envolvem pagamentos ou recebimentos em moeda estrangeira, além de participar nos processos de investimentos e especulações.

As operações deste mercado acontecem aos pares, ou seja, para comprar um moeda é preciso entregar outra. Para isso, devem ser conhecidos os valores que cada moeda vale em relação à outra, através das taxas de câmbio.

Seu funcionamento é de 24 horas por dia, entre domingo, quando abrem as primeiras operações asiáticas, e no final da sexta-feira, quando o mercado norte americano se encerra. Em abril de 2016 o volume diário alcançou

O que é a Taxa de Câmbio?

A taxa de câmbio envolve dois ativos, neste caso duas moedas, e indica o preço que uma unidade monetária de uma das moedas pode comprar da outra.

De maneira simples, a taxa indica o quanto o detentor de uma moeda consegue comprar da divisa em que está interessado.

A taxa de câmbio pode ser apresentada de duas maneiras:

  • Direta ou ao Incerto: quando temos a taxa apresentada em valores da moeda estrangeira para uma unidade da moeda nacional. Exemplo: 1,00 BRL = 0,25 USD;
  • Indireta ou ao Certo: quando temos a taxa apresentada em valores da moeda nacional para uma unidade da moeda estrangeira. Exemplo: 1,00 USD = 4,00 BRL.

Além disso, a taxa de câmbio pode ser fixa, flutuante ou híbrida, dependendo da política cambial do banco central de cada país.

Na economia brasileira temos um regime cambial flutuante, onde os valores das outras moedas são definidos livremente pela oferta e procura.

Quem regula o mercado de câmbio?

O mercado de divisas brasileiro é inicialmente regulamentado e fiscalizado pelo Banco Central às financeiras ou bancos, que atuam como intermediários dos clientes que procuram a moeda.

As operações podem acontecer no mercado primário ou no mercado secundário, este último quando as mesmas divisas são transacionadas a partir da segunda vez.

Além de regulamentar, o Banco Central também é responsável pela política cambial vigente, podendo ou não definir ou interferir no valor da moeda.

Em todo o mundo, as políticas cambiais são integradas pelo Banco de Compensações Internacionais (BIS, em inglês) com a presença de 60 bancos centrais. Segundo o BIS, em abril de 2016 a média diária de transações cambiais foi de US$ 5,1 trilhões por dia.

Crises do mercado cambial

Uma crise cambial acontece quando ocorre uma queda muito forte no valor da moeda de um país perante seus parceiros comerciais. Quando isso acontece em um país com grande importância para a economia mundial, o cenário passa a ser de crise financeira.

As crises cambiais passaram a ser comuns após o fim do sistema Bretton Woods, em 1971, quando as moedas tinham seus valores atrelados ao dólar americano, em taxas de câmbio fixas e não ajustáveis.

Com a chegada das décadas seguintes, os modelos com taxas de câmbio fixas continuaram em alta. Vários países foram alvos de ataques especulativos, que lucravam com a entrega de reservas dos bancos centrais para o mantimento da taxa fixada.

Por disso, nos últimos anos muitas economias passaram a adotar políticas cambiais com taxas flutuantes, com apenas algumas intervenções pontuais quando necessárias.

Entenda melhor o que é uma Política Cambial.