O que é cheque caução?

O cheque caução é um cheque comum entregue como garantia de pagamento de uma possível dívida relacionada a um bem, produto ou serviço. Ser uma garantia significa que o cheque caução só poderá ser descontado se houver desrespeito ao compromisso assumido por quem o passou.

O cheque caução é uma modalidade de garantia comum no aluguel de imóveis ou de veículos, por exemplo, mas também pode ser usado com outras finalidades.

Pedir cheque caução é um procedimento legal. A legislação, no entanto, prevê uma exceção: os hospitais não podem exigir cheque caução nem nenhuma outra garantia para prestar atendimento de emergência. O hospital que descumprir essa regra estará cometendo um crime.

Como funciona o cheque caução?

Se um consumidor aluga um carro, a empresa de aluguel de veículos poderá exigir uma caução. Essa caução – que pode ser um cheque ou o bloqueio de parte do limite no cartão de crédito – tem como objetivo ressarcir a locadora em caso de prejuízo.

No caso do cheque, ele será entregue pelo consumidor no momento em que alugar o veículo. Caso o carro seja devolvido sem nenhum problema, o consumidor poderá pegar o cheque de volta. No entanto, se o locatário não aparecer para entregar o veículo ou se sofrer um acidente, por exemplo, a empresa poderá depositar o cheque para compensar a perda.

A mesma lógica se aplica no caso do aluguel de um imóvel. No mercado imobiliário, a apresentação de um cheque caução equivalente a três meses de aluguel é um dos métodos usados para minimizar o prejuízo em caso de falta de pagamento ou de danos no imóvel por parte do inquilino.

Depósito do cheque caução

A empresa ou a pessoa física que recebeu o cheque como garantia só poderá depositá-lo nas situações previstas no contrato assinado.

O banco, no entanto, não tem a responsabilidade de conferir o que foi acordado entre as partes que assinaram o contrato. Por isso, caso receba um cheque caução para depósito ou saque, vai agir como se fosse cheque comum e descontar o dinheiro.

Se o cheque caução for apresentado de forma indevida, o consumidor lesado poderá questionar essa atitude na Justiça. Por outro lado, se a empresa que depositou o cheque estiver no seu direito, mas o cheque for devolvido por falta de fundos, ela poderá protestá-lo. Nesse caso, o consumidor ficará com o nome sujo.

Como preencher um cheque caução?

O cheque caução deverá ser preenchido como um cheque comum. Entretanto, algumas medidas podem aumentar a segurança de quem emite esse tipo de cheque.

No verso do cheque, escreva que ele é um cheque caução é, se possível, indique em qual circunstância ele poderá ser depositado. Por exemplo, no caso do aluguel de um veículo, indique o dia combinado para a entrega e que o cheque só deverá ser depositado se o carro não for devolvido nesse dia.

A medida não impede a empresa de depositar o cheque antes do combinado, mas evita confusões com outros cheques. A existência da mensagem também poderá reforçar a defesa do consumidor caso precise entrar na Justiça.

É importante que o cheque seja nominal, evitando que seja depositado por terceiros em caso de roubo ou furto. Se quiser impedir a empresa de repassar o cheque para outra pessoa, faça um cheque nominal não à ordem.

Outro ponto para ter em atenção é a data. Isso porque um cheque prescreve em seis meses, a contar da data que foi indicada. No caso de um compromisso de longo prazo, como um aluguel, o prazo de validade pode impedir o recebimento do cheque. Nesse caso, uma saída pode ser deixada a data em branco.

Recibo do cheque caução

Sempre que for exigido que deixe um cheque caução, o consumidor deverá pedir um recibo. Esse documento poderá comprovar, em caso de necessidade, que a outra parte ficou com o cheque, sendo responsável por sua devolução quando o negócio for finalizado.

Você também pode ter interesse em o que é um cheque, como preencher um cheque, cheque nominal e cheque cruzado.