Logística Reversa

O que é Logística Reversa?

Logística Reversa corresponde à administração dos resíduos sólidos e rejeitos gerados pelo processo produtivo de uma empresa. É a gestão do fluxo desses materiais que fazem o caminho inverso do produto, partindo do consumidor de volta à empresa. É também chamada de logística inversa.

A logística reversa está prevista na Política Nacional de Resíduos Sólidos, que regulamenta por meio da lei 12.305/10 a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos. Ou seja, a participação das indústrias enquanto encarregadas pelos resíduos sólidos provenientes de seus produtos. Sendo considerado resíduo sólido tudo o que tem valor econômico e que pode ser reciclado ou reaproveitado. E ainda rege determinações acerca dos rejeitos, aquilo que não pode ser reutilizado, e sua destinação ambientalmente adequada. O objetivo é reduzir o impacto ambiental causado pela industrialização.

Além de estar previsto em lei, o proveito da gestão da logística reversa empresarial pode tornar-se um diferencial competitivo. Ao administrar os resíduos e otimizar o processo produtivo, de forma a evitar rejeitos e descartá-los adequadamente, incrementa a imagem de marca perante o consumidor. E o faz até mesmo entre outros players do mercado e investidores, trabalhando valores relacionados à sustentabilidade e atenção ao meio ambiente.

Como implantar a Logística Reversa em uma empresa

Para implantar a logística reversa na empresa, é preciso partir de um Plano de Resíduos Sólidos. Nele o ciclo de vida dos produtos deve ser detalhado, assim como previstas operações de tratamento dos resíduos gerados.

Ao conhecer de forma profunda o ciclo dos produtos, o gestor pode encontrar maneiras mais criativas e sustentáveis de desenvolver sua mercadoria, buscando reduzir a quantidade de resíduos gerados, poupando insumos e otimizando gastos.

Por exemplo, a empresa pode identificar excesso de papel utilizado em determinadas embalagens, que gera mais resíduos e custos. Se substituído por uma embalagem de materiais recicláveis e em menor volume, pode resultar em uma economia em todos os aspectos.

Exemplo de empresas que aplicam a Logística Reversa

Logística Reversa de Pneus

Uma forma que a indústria de pneumáticos encontrou para adequação à Política Nacional de Resíduos Sólidos foi disponibilizar os produtos já desgastados, e portanto sem utilidade, para criação de outros elementos à base de borracha. A Bridgestone, no Brasil, recolhe os pneus usados e os encaminha para empresas, que por sua vez, trituram e recompõem o material, transformando-o em matéria-prima para a criação de pisos isolantes, entre outros produtos em borracha.

Logística Reversa da Coca-Cola

Desde antes da Política Nacional de Resíduos Sólidos, a Coca-Cola já contava com uma série de ações de logística reversa no Brasil. A companhia incentiva a reciclagem de suas garrafas PET com programas envolvendo centenas de cooperativas de catadores de lixo em todo o país, que recebem valores em dinheiro pela quantidade de material recolhido.

A Coca-Cola também aposta na inovação de suas embalagens para diminuir o volume de resíduos. Foi criada uma versão de suas garrafas PET com 30% de material vegetal, a chamada Plantbottle. O objetivo é reduzir a quantidade de matéria-prima não renovável destinada à produção das embalagens, além de 25% de queda nas emissões de CO2.

Você também pode se interessar por Gestão da Cadeia de Suprimentos.

LLC Logística Reversa Long Position