10 dicas de como economizar dinheiro e realizar sonhos

Se precisa economizar, mas chega ao fim do mês com pouco ou quase nenhum dinheiro, está na hora de reavaliar gastos e criar um plano. É comum “sobrar mês no fim do salário”, mas com as medidas certas é possível economizar e ter dinheiro para realizar sonhos. Por isso, o Dicionário Financeiro criou este guia com dicas muito úteis para que não chegue ao fim do mês apertado.

Não existe fórmula mágica para conseguir economizar dinheiro. O ponto crucial para que passe a ter uma melhor situação financeira depende da sua força de vontade e do quão organizado você consegue se tornar. Portanto, fique atento às dicas a seguir!

1. Saiba com o que você gasta o salário

Contas, calculadora, números, dinheiro, salário

É normal gastarmos dinheiro em uma coisinha aqui e ali. Também é normal que não se tenha em mente o quanto do salário é gasto em compras de coisas pequenas, como doces e até mesmo materiais que muitas vezes não são necessários.

Já chegou ao fim do mês e se perguntou com o que tinha gastado o salário? Se sim, é provável que não esteja fazendo o devido controle de seus gastos. Portanto, a partir de hoje, faça o registro de todo o dinheiro que gastar.

Há várias opções para fazer este registro, como planilhas disponíveis na internet para download gratuito. Além disso, alguns aplicativos já foram criados para ajudar você a ter controle sobre as finanças. Alguns deles, inclusive, já registram automaticamente os pagamentos feitos por débito ou crédito.

Com tudo registrado, é possível verificar aonde foi o dinheiro e com o que você mais gasta, promovendo o conhecimento do que pode cortar. Por isso, ter em mãos o registro de seus gastos é o primeiro passo para economizar.

2. Trace estratégias e metas para seus gastos

Depois de entender exatamente como gasta o salário, é hora de criar estratégias para fazer o dinheiro durar o mês inteiro. Isto inclui cortar gastos desnecessários e criar metas sobre aqueles que não consegue evitar.

Todos temos aquelas despesas fixas, das quais não podemos fugir. Trate-as como prioridade. Isto porque atrasar um pagamento pode acabar com seus sonhos de economia, uma vez que juros e outras taxas podem incidir sobre o valor devido.

Com as contas obrigatórias pagas, crie metas sobre os outros gastos. Por exemplo, planeje gastar X por cento do dinheiro com áreas específicas da sua vida e se comprometa.

Não dá para deixar de comer sobremesa depois das refeições? Coloque um limite no quanto gastará com isso. Precisa ir à academia? Que tal trocar o ginásio caro e badalado por um mais em conta ou uma caminhada no parque? É importante jantar fora algumas vezes na semana? Defina o quanto pode gastar com essas idas ao restaurante!

Ter estratégias e metas claras sobre seus gastos ajudará a manter seu dinheiro sob controle. Assim, as chances de sobrar salário no fim do mês são maiores.

Veja também: O que é um planejamento financeiro?

3. Seja um consumidor consciente

Ter consciência na hora das compras é fundamental para que consiga economizar. Já reparou que, muitas vezes, vamos a alguma loja ou até mesmo ao supermercado e compramos muito mais do que tínhamos em mente?

Isto acontece porque muitos locais nos incentivam a gastar dinheiro, seja pelo ambiente ou por estratégias que mexem com o inconsciente.

Por isso, ao sair às compras, tenha uma lista do que precisa comprar e mantenha-se fiel à ela. É claro que nem sempre será possível segurar o impulso de comprar algo que achamos bonito ou acreditamos que seja necessário.

Logo, antes de finalizar uma compra desse tipo, pare e reflita:

  • É preciso?
  • Fará a diferença na minha vida?
  • O que vou gastar com isso vale a pena?

Também pondere sobre o que poderia fazer com o dinheiro gasto antes de tomar a decisão. Muitas vezes, a tendência dos consumidores é comprar sem pensar muito sobre o que estão comprando. Não seja assim!

4. Seja inteligente ao utilizar o cartão de débito e crédito

Cartão de débito ou crédito

Por serem muito práticos, atualmente é muito comum utilizarmos os cartões de débito e crédito no dia a dia. Afinal, a tecnologia chegou para ficar e algumas compras podem ser até mais vantajosas se feitas com o cartão.

No entanto, por não termos o dinheiro em mãos e não vermos notas e moedas desaparecerem da carteira, perder a noção dos gastos através dos cartões é muito fácil. Portanto, seja inteligente na hora de usar o cartão.

Para isso, é importante estar sempre atento à sua conta no banco e à sua fatura na hora de pagar. Quem nunca levou um susto na hora que a cobrança do crédito chegou? Se isso já aconteceu com você, ou tem acontecido frequentemente, está na hora de criar estratégias para o uso do cartão.

Uma das dicas é utilizá-lo somente quando extremamente necessário e para compras que exijam quantias maiores de dinheiro. Para as compras do dia a dia, de coisas pequenas, dê preferência ao dinheiro físico. Tornar a fatura do cartão uma bola de neve é muito simples. Por isso, esteja sempre atento para que isso não ocorra!

Além disso, é possível que seu banco ofereça um aplicativo onde é possível consultar o saldo em conta o tempo que quiser. Aproveite a ferramenta para controlar seu dinheiro.

5. Pague suas contas sempre em dia

Não é necessária muita explicação: pagar as contas em dia evita que os juros consumam seu salário. Este dinheiro pode fazer a diferença no fim do mês e, quem sabe, ser utilizado para investimentos futuros. Já percebeu quanto o valor devido do cartão de crédito aumenta se atrasar o pagamento?

Os cartões de crédito possuem a maior taxa de juros quando o assunto é pagamento atrasado. Mas os juros incidem sobre qualquer atraso. Por menor que o valor seja, é um dinheiro que está saindo do seu bolso sem qualquer retorno.

Além disso, pagar as contas em dia eleva a sua credibilidade perante a instituição a que você deve. Então não atrase mais os pagamentos!

6. Quite todas as suas dívidas

Se você está endividado, é de extrema importância que pague todas as dívidas o quanto antes. Isto porque desta maneira você evita que os juros se transformem em um bicho de sete cabeças, piorando a situação e dificultando o pagamento da dívida.

Não é tão simples quanto soa, mas com um bom planejamento, dá para conseguir pagar suas dívidas sim. Se tem a possibilidade de pagar à vista, ótimo! Uma vez que o pagamento à vista pode acarretar em grandes descontos nos juros.

É claro que, se você pudesse pagar as dívidas de uma vez, já teria certas economias. Se esse não é o caso, entre em contato com os credores e negocie. Verifique a possibilidade de fazer um acordo em parcelas que cabem no seu bolso.

Pagar as dívidas trará benefícios interessantes:

  • Consciência livre destes fantasmas monetários que podem tirar seu sono.
  • Voltar a ter credibilidade no mercado financeiro.

Ter o nome limpo de dívidas é crucial para que a sua vida financeira entre nos eixos!

7. Comprometa-se com uma quantia para poupar

Porco cofrinho, piggy bank

Um dos erros que muitas pessoas cometem na hora de pensar em guardar dinheiro é considerar o que “sobra” do salário. A partir do princípio que é muito raro sobrar dinheiro no fim do mês se não há um planejamento para isso, a melhor opção para começar a poupar é estabelecer uma quantia a ser guardada todo mês.

Há muitas modalidades para se ter uma poupança. Para que tenha efeitos positivos, no entanto, é importante separar uma quantia logo que o salário cair na conta. Dá para começar com pouco, digamos, 1% do holerite. Ao se comprometer com isto, assim que receber, já guarde a quantia de dinheiro na poupança.

Gradualmente, é possível e importante que a porcentagem a ser poupada evolua. Assim, com o passar de alguns meses, já é possível ter certo dinheiro poupado, o que irá motivá-lo a continuar guardando. Este dinheiro depois pode ser utilizado para realizar sonhos, como uma viagem ou a entrada de uma casa nova.

Não precisa guardar o dinheiro somente na poupança, pois apenas guardar causa a ideia de que o montante está disponível a qualquer momento que considerar necessário usá-lo. Por isso, reflita sobre um objetivo que gostaria de alcançar com o que poupar.

Há investimentos que podem valer a pena. Estude onde quer colocar o dinheiro e, quem sabe, obter rendimentos. Se seguir um planejamento, verá resultados positivos!

8. Reavalie seus hábitos

É claro que todos queremos ter qualidade de vida e se entregar a alguns prazeres para vivermos com todo o nosso potencial. Mas o erro está nos exageros. Por isso, reflita sobre seus hábitos e corte ou diminua a frequência daqueles que não considerar necessários.

Jantar fora todos os dias pode ser ótimo, mas já pensou no rombo que isso pode causar no seu orçamento? Estabeleça limites para comer fora. Se sai sexta, sábado e domingo para uma festa, que tal trocar uma dessas noitadas por atividades mais em conta? Um dia no parque com os amigos pode ser muito gratificante também (e bem mais barato!).

Está sempre gastando com revistas e outras assinaturas? Verifique aquelas que utiliza menos e se são realmente importantes. Pequenos gastos com esses serviços podem significar dinheiro mal empregado e fazer a diferença no fim do mês.

Bebe muito? Fuma muito? Além de serem hábitos prejudiciais à saúde, podem custar caro! Se não puder cortar de uma vez da sua vida, pondere beber e fumar menos, quem sabe em dias da semana específicos ou somente quando estiver na companhia dos amigos. O bolso agradece, e o seu corpo ainda mais.

Estes são apenas alguns exemplos, mas é importante refletir sobre hábitos que custam dinheiro. Ao encontrar algum que pode ser diminuído ou cortado, já pode poupar o dinheiro para alcançar suas metas ou utilizá-lo com o que for realmente necessário e importante. Esteja atento a hábitos prejudiciais ao bolso (e à saúde!).

Veja também: Como fazer um orçamento pessoal e familiar?

9. Não faça compras para se consolar

Muitas pessoas são consumidoras emotivas. Neste caso, sempre que sentem algum tipo de emoção negativa, correm à alguma loja ou shopping center comprar algo para se sentirem melhor. Isto é muito comum e a prática já deve ter sido feita pela maioria das pessoas. O problema é quando se torna um hábito.

Fazer compras por consolação pode ser um verdadeiro perigo para as finanças e pode ser até mesmo um sinal de doenças mentais. Lembre-se de que a realidade pede que tenhamos cuidado com o dinheiro, mas para isso precisamos cuidar também das nossas emoções e sentimentos.

Não que você deva se privar daquela comprinha que irá trazer felicidade, mas não deixe que seus sentimentos e emoções levem a isto. Planeje suas compras e, se perceber que gasta dinheiro puramente para se sentir melhor em relação a algum problema, pare e reflita.

É importante resolver o problema antes que a fatura do cartão de crédito estoure e você se veja envolvido em dívidas. A sensação de comprar para ter consolo é ótima, mas extremamente passageira e pode gerar um ciclo vicioso. Será que você terá a mesma alegria quando receber a conta ou ficar sabendo que não tem mais dinheiro no banco?

Volta-se ao conselho: seja um consumidor consciente. Sempre!

10. Utilize talentos e conhecimentos para ter renda extra

Mulher dá aula a homem

Falar em poupar e ter maior controle dos gastos pode ser crucial para economizar dinheiro. Porém, muitas vezes o problema é não ter renda suficiente para se alcançar a estabilidade necessária para isso. Portanto, se você tem algum talento ou conhecimento sobre áreas específicas, por que não utilizá-los para ganhar um dinheiro extra?

Se é bom em escrever, com certeza alguém terá interesse em fazer algumas aulas. Se sabe muito bem outra língua, pode utilizar seu conhecimento para ensinar pessoas que não têm tempo ou possibilidade de ir à uma escola de idiomas. Dá para vender seus conhecimentos pela internet!

O tempo pode ser curto, mas com algumas horinhas por mês é possível gerar renda extra. Esta pode ir diretamente para a poupança e, assim, ficar mais perto de realizar seus sonhos.

Também é possível utilizar estas dicas como um passo a passo para se reeducar financeiramente e, assim, ser capaz de economizar dinheiro. Entre outras recomendações, é interessante investir o dinheiro poupado tendo em vista uma meta.

O título deste artigo fala em realizar sonhos. E então? Já pensou no maior motivo que você teria para economizar? Alguns objetivos podem parecer distantes de onde se está no momento, mas tenha em mente que com disciplina e força de vontade, tudo é possível. Comece a trabalhar e economizar por eles agora mesmo!

E se está pensando em poupar para uma aposentadoria tranquila, também pode ter interesse em saber mais sobre a previdência privada.

O que é economia de escala? 10 dicas de como economizar dinheiro e realizar sonhos EIRELI